Clã Dämmerung

Perfect World BR - servidor Arcadia
 
InícioInício  PortalPortal  CalendárioCalendário  FAQFAQ  BuscarBuscar  MembrosMembros  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-seConectar-se  

Compartilhe | 
 

 A História - A Constelação de Hydra

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Tupiii

avatar

Masculino Gémeos Cachorro
Mensagens : 8
Raça : Selvagens
Classe : Bárbaro
Alinhamento : Sombrio

MensagemAssunto: A História - A Constelação de Hydra   Sab Abr 24, 2010 2:19 am

(A História) Tupis’t o Leal?
Capitulo 1 – O Surgimento do Leal.

Surgia então mais um guerreiro, em um péssimo dia de torrentes chuvas e trovões.
Esse filho de um pequeno comerciante adorador de dragões chamado Tundra Teckos e de uma artesã de mão cheia chamada Sullivan Opttund.
Criado por sua mãe desde seus primeiros berros, Tupis’t um único filho de uma belíssima união entre esses dois jovens pacatos da Cidade das Feras.
Cidade natal e muito amada por ele, e pela maioria das pessoas que lá residem ou que lá nasceram..
Aos 9 anos de idade, enquanto brincava com seus novos martelos duplos, ouviu dizer que seus poderes poderiam ser aumentados enormemente mas que para isso deveria ir ao encontro do Eremita da Cidade das Feras, onde recebe um pacote com um pano levíssimo de seda escrito: Breve para Cultivo.
Enfrentou então a batalha mais sangrenta de sua vida contra os "Sem-Alma", ao matar algumas centenas de Ouriços Peçonhentos. Após meses de sofrimento ele volta e reporta ao velho Eremita, que em um passe de mágica o transforma em um animal, um tigre para ser mais exato. Sua fama havia mudado naquela cidade onde começou a ser chamado de Tupiii o Leal. Nessa volta o Bárbaro vê uma estranha criatura chamada Fera Comedora de Tesouros, entra em pânico e aperta seu passo em direção ao horizonte escuro do Vale dos Lobos.
Com o passar do tempo foi se aventurando ainda mais, por mais tempo, indo mais longe. Até que em um dia ninguém sabe o motivo foi raptado pelo exercito dos "Sem-Alma" que mudaram sua forma de pensar, se tornando um servo das sombras, dizem na pequena Vila do Fogo, que se converteu em um Demônio quando teve seu primeiro contato com uma Divindade, tornando-se amigo pessoal do Deus da Guerra.
Ao completar seu octogésimo quinto aniversario foi presenteado por um velho comerciante de nome desconhecido, mas de uma aparência familiar, com os poderosíssimos machados duplos de nome Trovão da Morte Negra que por algum motivo desconhecido será eterno, inquebravel e único em suas mãos.
Ainda disse o estranho velho:
Mudanças meu jovem, mudanças aconteceram daqui a pouquíssimo tempo em sua vida. Ao completar o seu preparo eu voltarei, não me procure, só eu posso te encontrar.
Essas mudanças aconteceram quando Tupis’t alcançou o topo de seu Cultivo, quando se tornou Demoníaco.

Capitulo 2 – A nova Estima: Demoníaco.

Completos seus anos de experiência de combate, riquezas perdidas e conquistadas, havia chegado a hora mais importante na vida de Tupis’t a escolha entre o caminho das Trevas ou o caminho da Imortalidade. Não pensou muito e Puft!, se tornou um tigre branco e foi ao encontro do Instrutor Demônio.
Chegando por perto da cidade Universal, estava ocorrendo uma guerra entre os guerreiros de níveis superiores e os Sem-Alma. A batalha durou dias e dias, Tupis’t se via cada vez mais distante do tão sonhado titulo que aguardará desde seus 9 anos. Ao final dessa sangrenta batalha, Tupis’t consegui ir ao encontro do tal Instrutor:
-Olhando para baixo, em uma enorme ponte que ligava a Cidade Universal ao local onde estavam os Instrutores Celestial e Demônio.
Ss ss s sss senhor? Poderia me ajudar? – Disse Tupis’t com suas pernas banbas por estar tão perto de tal divindade.
Eu sei porque está aqui Bárbaro, e aqui está sua primeira tarefa para poder se tornar um Demônio. – Entregou um papel escrito:
“ Sacrificando-se
O Penhasco Estranho
Verificar o Penhasco, próximo á montanha dos Cisnes.
Logo Após, volte com seu resultado. “
Seguiu então Tupis’t, demorou alguns dias andando sem descanço, sem alimento, sem o luxo que havia acustumado a ter em busca do tal penhasco. Ao chegar se depara com um enorme vazio, pensa que tal Instrutor o havia enganado e reflete sobre muito do que fez, do que faria se conseguisse aquilo, e então voltou desapontado ao Instrutor Demônio:
Senhor, não consegui completar minha tarefa, peço perdão. Não sou digno a ser um Demônio, refleti sobre tudo e vi que não posso continuar vivo, não mereço nem ao mesmo a vida que me foi concebida – A primeira vez que o Bárbaro se viu romper em prantos.
Ei, garoto, você conseguiu. – Disse o Asceta Demoníaco.
Co co co como é? – Limpou o rosto das lagrimas, caiu de joelhos e olhou no fundo dos olhos vermelhos do Asceta.
Sim, você conseguiu. Sacrificou sua alma, sacrificou seu luxo, sua fome e tudo que já passou na sua vida. Levante-se Bárbaro sua segunda tarefa está por vir. Vá de encontro a Fera Comedora de Tesouros – Disse o Emissário Demônio.
Ao ouvir o nome Fera Comedora de Tesouros o Bárbaro sempre destemido, valente.. entrou em pânico pela segunda vez na sua vida. Dias e noites inteiras se passaram e numa manhã de chuva, neblina chega ao encontro da Fera. Então ao vê-lô se aproximando a fera Ruge e o deixa estático, chega perto e diz:
Sinto cheiro do seu medo, ainda é o mesmo cheiro que senti no nosso primeiro encontro, sem mais delongas, não tenha medo, se o Instrutor Demoníaco o achou capaz e o mandou para cá, está em boas mãos. – Entrega um papel parecido com o que já tinha, só que com sua segunda tarefa.
“ O Cristal da Alma Lunar
Vá até o Vale do Escorpião, de preferência em grupo e...
Recupere meu cristal. O entregue com algumas pedras da Alma “
Lá encontrou um grupo de Alados que o ajudaram a pegar o tal cristal, e também que venderam as pedras por um preço rasoavel.
Entregou o Cristal e as Pedras para a Fera que lê disse o seguinte...
Você é um Selvagem de respeito, será sempre bem vindo aqui e no Inferno, volte para a cidade Universal entre na Terra Dos Sonhos e mate TODOS, eu disse TODOS os que possuem sangue circulando nas veias. – Engolindo as pedras e o Cristal, um a um.
Derrotou tais inimigos como o Macaco Rei, a Raposa de Fogo e o temido Brahma. Após quase um dia inteiro de batalha com o Brahma, Tupis’t olhou atrás da carcaça do Brahma e viu uma caixa, ele a abriu e se transportou imediatamente para a Cidade Universal.
Entregou mais essa tarefa ao Asceta Demônio, que começou a dizer:
Hm, pareçe que é isso... É! É! Isso sim! Bárbaro, você superou as minhas espectativas sobre o que você poderia fazer... Na verdade a Fera Devoradora de Tesouros o mandou para uma missão suicida. E você a fez! E com muita onra e gratidão que...
-Num passe de mágica o Instrutor Demônio levantou seus braços conjurou um feitiço e apareceu o guardião Demoníaco, o guardião de Tupis’t
Te promovo a Demônio!
“ Agora você é um demônio, faça Jus ao seu titulo “
Corre então Tupis’t e pula a ponte que liga os Ascetas a Cidade Universal, em uma alegria tamanha que seu agora Inseparável guardião Demônio não acompanha. E como se nada fosse real, um pedaço de papel escrito por seu pai cai de seu Trovão Da Morte Negra:
Hã? Não é possível! Não é possível! Meu pai fez esse machado? Como? – É interrompido pelo seu Guardião que fala pela primeira vez com seu senhor:
É possível senhor Demônio, todos após a morte vagam ou no Purgatório Celeste ou no Inferno, é bem possível que seu pai tenha feito alguma magia para se transportar de lá e te entregar o Trovão.
Tupis’t se vê mais uma vez a ponto de enlouquecer e corre, corre, corre o mais longe que pode corre até que desmaia de cansaço e ali fica, por um longo tempo.
E foi assim o nascimento de Tupis’t Teckos Opptund o Demônio.


(O Inicio de Uma Nova Era) Um novo mundo.
Capitulo 1- A constelação de Hydra.

Logo após a descoberta que seus machados foram feitos por seu pai, que a muito tempo pensava estar morto, Tupis’t se deixou levar pela emoção e voltou a fazer suas longíssimas expedições em busca de um sentido para o que havia acontecido.
Aos poucos o aventureiro se encontrava novamente com a sanidade, em meio a uma tempestade, no Mar Wujji, avistou uma bela garota de olhos negros e cabelo cor-de-rosa, dotada de muitas habilidades derrotou milhares de piratas que haviam por perto em alguns instantes, brandia em mãos um espada azul-celeste com mínimos detalhes em branco que mesmo em tão delicadas mãos, parecia sumamente perigosa.

Vejo que a garota é muito poderosa, mesmo que não pareça. - Disse o aventureiro com desdenho a tal pequena garota.

Como uma forte brisa, e tão rápida quando a luz, a Garota chega a Tupis’t e coloca sua espada em frente ao rosto do Bárbaro:

Não sei porque está aqui estranho, mas parece perigoso ficarmos de conversa fiada com tantos piratas em nossa volta. – Disse a jovem com um brilho enigmático em seus negros olhos.

Nisso os dois se tornaram um por alguns instantes, e dizimaram o que restavam de piratas pelo lugar:

Ainda não me disse seu nome garota. – Disse Tupis’t impressionado com o modo de lutar da jovem.

Você ainda não é digno de saber, Bárbaro. – Respondeu a jovem misteriosa.

Perceberam então que já passaria da meia-noite e Tupis’t indagou a jovem:

Veja! Aquela é a constelação de Hydra, é muito difícil de ser observada de acordo com livros que li. – Vendo que a garota se interessou pela constelação o aventureiro contou-lhe sobre as Histórias que já havia vivido.
Depois de tal feito, Tupis’t se viu interessado em saver a história da tal jovem misteriosa.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
 
A História - A Constelação de Hydra
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Atormentada - A História de uma garota em desespero
» Como criar uma Boa História
» Diálogo em uma história narrada em primeira pessoa
» GEHENNA: A HISTÓRIA REAL
» A Triste História da Goiaba

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Clã Dämmerung :: Público :: Fanfic-
Ir para: